A PESSOA COM ELA/DNM

Atualmente é comum, cada um por si, fazer buscas na Internet para saber o significado dos sintomas que está vivenciando. Assim, muitas vezes, antes mesmo de ir ao médico já persiste a dúvida sobre uma grave doença que pode ter acometido a pessoa. Evidentemente que o diagnóstico será fechado somente após consultas e exames médicos. No entanto, a tensão, o medo e a dor psíquica já estão presentes.

Ao fechar o diagnóstico, há total mudança na vida da pessoa e da família. Para algumas é como se o chão desaparecesse dos seus pés, para outras a doença representa uma sentença de morte, em outras pessoas causa instabilidade emocional, desejo de morrer, depressão. No entanto, há pontos em comum, a vida sonhada para ser vivida necessita ser reinventada e é real o sofrimento resultante do significado da instalação da doença em sua vida e na vida da família. A carreira profissional, os estudos, as viagens, a criação dos filhos, a visita a médicos e profissionais da saúde provocam mudanças no mundo interno, que promovem desequilíbrio emocional em todos os envolvidos. A cada novo procedimento o que se encontrava equilibrado, desequilibra-se novamente num processo constante de fazer e refazer-se internamente. A “invasão” à casa da família de novas pessoas quando a doença alcança significativa evolução e é preciso instalar o home care é outra etapa que ocasiona estranhamento e um recomeço ao novo processo de adaptação.

O sofrimento psíquico causado no curso e percurso da enfermidade, a insegurança e o desconhecimento de como será daqui para frente, são situações carregadas de extrema emoção. O medo do futuro passa a fazer parte do cotidiano da pessoa com ELA/DNM. E, não é incomum pensamentos suicidas ou propriamente tentativas de suicídio.

E O QUE ACONTECE COM A FAMÍLIA?

Os seres humanos são diferentes e semelhantes uns dos outros, a família também é assim, semelhante e diferente ao mesmo tempo. Uma pode enfrentar as etapas da doença de um jeito mais “tranquilo”, apoiando-se na crença religiosa, outra família pode desesperar-se e perder o rumo a seguir, e outra pode romper os laços afetivos e acontecer a separação do casal ou de membros da família.

A ELA/DNM não afeta somente a pessoa doente, mas afeta a família como um todo, conheça os sintomas da ELA/DNM